quarta-feira, 27 de junho de 2007

Cap 10

-Vamos, Wesleys! - A professora McGonagall olhou impaciente para os dois irmãos que se demoravam em despedidas e cochichos com os seus respectivos pares
-Já vamos!- Gina gritou e voltou-se de novo para Harry - não demorem, assim que a gente partir, vocês tem que ir para a passagem secreta!e não esqueça de colocarem a capa, não podem ser vistos! A gente se encontra perto da casa do grito e...
-ta bom Gina, já entendi. Agora ande que a professora pode começar a desconfiar- Harry pediu e a menina puxou Ron pelo braço e os dois se afastaram
Harry observou a turma se afastando e só então ousou lançar um olhar para a figura ao seu lado
Ela não estava no melhor dos humores. Aliás quando é que ela estava bem humorada ultimamente?
Harry suspirou desanimado. Na verdade não estava com a menor vontade de ir a Hogsmeade, pois seu humor também não estava muito melhor do que o de Hermione, mas não queria decepcionar Gina, como provavelmente ela não queria decepcionar Rony
-então - ele puxou assunto - acho que a gente devia ir...
Hermione olhou pra ele com a cara fechada
-Harry, vamos parar de fingir que esta tudo bem, por que não esta! – ela o surpreendeu. Era a frase mais cumprida que dizia a ele em semanas.
-Não estou fingido nada – respondeu no mesmo tom – mas acho que esta sua implicância comigo já esta passando dos limites
-implicância? Você me tratou feito lixo naquele dia do treino! E eu ainda tenho que aceitar?
-eu já pedi desculpas!
-desculpas não resolvem nada – falou tristemente e se afastou
Hermione segurou a vontade ridícula que estava de chorar. Ouviu os passos dele atrás de si, mas não olhou pra trás. Esta droga de passeio estava acabando com seus nervos.
Caminhou em silêncio até a sala cumunal para pegar o casaco, pois o dia estava frio com a proximidade do natal. Quando voltou a sala Harry já a estava aguardando e sem dizer uma palavra eles seguiram até a passagem secreta.
Ele empurrou a passagem e se afastou para Hermione passar. Ela entrou no túnel e apontou a varinha
-lumos!- a passagem escura se iluminou e eles seguiram em silêncio.
Harry observou Hermione caminhar a sua frente. Podia sentir a tensão que vinha dela e se arrependeu como nunca de tê-la destratado naquele treino. Ele mesmo não sabia a razão de ter agido daquela maneira. Não parara muito para refletir sobre o porque de sua irritação. Sim, estava tenso com a proximidade do jogo com a Sonserina, mas a culpa não era de Hermione.
Mas vê-la ali, sorrindo despreocupada, o deixara irritado.
E agora ela não falava mais com ele. Sentia falta de suas conversas, de sua inteligência aguçada capaz de chegar a uma conclusão antes de qualquer um deles.
Mas como fazer com que tudo voltasse a ser como era antes?
Não antes da briga, pois ele sabia que a confusão começara depois que concordara em beijá-la
Depois daquele diz nada mais tinha sido o mesmo.
E Harry sentia-se péssimo com isto
Tinha que fazer alguma coisa e o momento era propicio. Sem Gina e Ron eles podiam conversar abertamente
-Até quando vai ficar sem falar comigo? – arriscou perguntar
Ela continuou andando e Harry achou que não fosse responder
Mas ela parou e se virou
-Não sei o que temos pra falar .- respondeu simplesmente.
-Somos amigos, Hermione! Como não temos nada pra falar? Nos conhecemos a quase 7 anos, eu, você e Rony sempre fomos inseparáveis!
-As coisas mudam Harry. Não somos as mesmas pessoas
-O que quer dizer, que não devemos mais ser amigos?
Ela deu de ombros, havia uma tristeza dolorida em seu olhar. Um distanciamento que não existia antes. E Harry queria alcançá-la, mas não sabia como
-talvez sim. Talvez esta seja a ordem natural das coisas.
-Isto é absurdo! - Harry sentia-se frustrado
-Por que absurdo? Não vê que nem nos entendemos mais? Não é mais a mesma coisa Harry. Nós mudamos, não tem como voltar no tempo.
Harry a encarou. Não podia acreditar no que ela estava falando. Não tinha nexo
-Eu ainda não entendo, Hermione - falou sério - aonde esta escrito que só porque crescemos não podemos mais ser amigos? Vai me dizer que você viu isto em um dos seus livros?! Não é porque eu a tratei mal naquele dia do jogo não é? As coisas não são mais as mesmas desde o dia em que eu te beijei!
Um silêncio tenso se instalou entre eles
Harry se arrependia de tocado no assunto de novo. Mas não havia outro jeito. Tinham que exorcizar este assunto de vez
-Não quero falar mais sobre isto!- os lábios dela tremeram e Harry percebeu que tinha chegado no cerne da questão
-mas nós vamos falar!
-Chega deste assunto! Não quero falar e não vou falar, mas que droga! - ela gritou e dando meia volta, se afastou pelo túnel escuro. Harry ficou parado um instante, mas então decidiu que não podia deixar tudo assim
-Hermione, espere! – ele a alcançou e a segurou pelo braço
-me solta!- ela puxou o braço com força e no espaço apertado do túnel, foi de encontro a parede e então algo inesperado aconteceu. A parede começou a se mexer. Hermione arregalou os olhos assustada e no instante seguinte tinha caído no espaço que se abria a frente
-Você esta bem? – Harry aproximou-se dela e a ajudou a levantar. Pelo menos desta vez ela não o repeliu
-estou... Mas o que é isto?
Harry olhou para o outro túnel
-Acho que mais uma passagem secreta
-Onde será que vai dar?
-Só temos uma maneira de descobrir – ele acendeu a varinha novamente e entrou no túnel
-Harry, aonde você vai? Temos que ir até Hogsmeade!
-e quem disse que este caminho não vai pra lá?
-eu não sei...- ela relutou, mas também estava curiosa pra saber sobre aquele túnel
-eu vou por aqui, se você quiser pode ir pelo mesmo caminho! – ele falou já seguindo em frente. Hermione continuou relutante, mas resolveu segui-lo
-Me espera! – ela caminhou atrás dele. As desavenças ficando em segundo plano.
Depois de alguns minutos andando pelo misterioso túnel, avistaram uma luz
-Olhe! – Harry correu para o que parecia uma porta e a abriu. A porta dava para uma escada em aspiral. Eles subiram e Harry abriu o alçapão. Saiu pela abertura e a puxou pela mão.
Eles olharam espantados para o cenário a frente
-Acho que estamos numa sala cumunal – Hermione sussurrou
-Sim. Mas não em qualquer sala. Estamos na Sonserina!
Hermione observou a sala a sua frente. Ainda bem que naquele momento estava vazia. Se fossem pegos ali estavam fritos
-então é melhor caímos fora - pediu a Harry Mas ele já estava distraído em examinar a sala
-Harry... precisamos sair daqui...
Ele a encarou
-já que estamos aqui, é a nossa oportunidade de descobrimos alguma coisa!
-descobrir o que?
-qualquer coisa que nos passa levar a Malfoy
-Harry...
Mas ele não a estava ouvindo, ocupado em adentrar na sala comunal da Sonserina
-Não esqueci que aqueles dois estavam aprontando alguma a mando do Malfoy aquele dia na floresta proibida.
-Mas o que podemos descobrir aqui? Não deixariam nenhuma pista por aí...- ela parou de falar ao ver que o olhar de Harry recaía sobre um pergaminho em cima de uma mesa
-O que é isto? – ela aproximou-se e ele passou o papel a sua mão
-é uma receita da poção polissuco! - ela leu e olhou para Harry – isto é normal Harry, deve ser de algum aluno do primeiro ano
-eu duvido. Tem alguma coisa acontecendo, Hermione, eu só não sei o que...
-esta exagerando. Malfoy esta longe daqui
-Mas o que aqueles dois foram fazer na floresta proibida? Você mesmo ouviu!
-Ouvi que uma deles aprontou alguma coma intenção de ajudar Malfoy, mas foi mal sucedido e tiveram que voltar lá pra arrumar seja lá o que foi feito!
-e você não acha isto suspeito?
-suspeito é, mas não quer dizer que tenha algo a ver com o Malfoy! Ele esta longe Harry. Não ousaria voltar aqui, sabe que vai ser pego e mandado para Askaban.
-e se ele fizesse o mesmo que Bartolomeu Crouch Jr, quando se transformou no Olho Tonto Mody e enganou a todos, inclusive a Dumbledore?
-Acho isto bem improvável. Malfoy é um covarde!
-Mas pode estar a mando de Valdemort. E ele não ousaria decepcioná-lo, mesmo sendo um medroso
-Pode ser, mas continuo achando improvável. E acho melhor a gente ir embora daqui, se alguém aparece...
-só mais uns minutos. Vou até o dormitório masculino.
Hermione o segurou pelo braço
-E se tiver alguém lá?
Ele tirou a capa de invisibilidade do bolso.
-Não se preocupe. Usarei isto. Fique aqui e vigie a porta
Hermione viu ele se afastar apreensiva. Mas ficou ali, atenta a qualquer barulho que denunciasse a chegada de alguém.
Depois do que pareceu horas Harry pareceu a porta.
-Não achei nada aqui. Acho que vou dar uma olhada no feminino
-Ficou maluco? Não pode entrar aí!
-então vai você!
-Acho que a gente tem que ir embora!
-Não antes de investigarmos tudo! – ele colocou a capa e suas mãos- vá, e procure qualquer coisa que nos ajude!
Hermione caminhou relutante e entrou no dormitório feminino. Fuçou tudo ao seu alcance mas não achou nada demais.
Já ia sair, quando viu Harry se aproximando
-O que veio fazer aqui? Nao encontrei nada!
-Ouvi barulho, acho que tem gente se aproximando, temos que sair daqui agora!
-Ai meu deus!
Eles desceram as escadas correndo e Hermione rumou para o alçapão, mas Harry voltou
-O que esta fazendo? Temos que sair daqui!
-Onde você colocou o pergaminho do polissuco?
-pra que você quer isto?
-pode ser uma pista.
-Eu não sei... acho que ficou lá em cima, no dormitório feminino!
Ela correu com Harry em seu encalço e achou o pergaminho dobrado
-ótimo, agora vamos! - Harry falou, mas não conseguiram sair do lugar, pois a porta da sala comunal se abriu lá embaixo.
Hermione enregelou de medo, mas Harry pensou rápido e puxou a capa de invisibilidade por cima deles
-estamos fritos! – ela sussurrou
-fica quieta! Vamos andar devagar até a saída
-Vão nos ver!
-Não vão não, é só não fazer barulho. Pronta? – ele pegou na sua mão e Hermione fez sinal positivo com a cabeça. Mas não conseguiram dar mais que três passos, pois a porta do dormitório se abriu e duas alunas da Sonserina entraram rindo
-Mas como você é burra!- uma delas falou rindo
-Só porque não quis beijar o Goyle? Ai credo, me poupe
-Mas ele é amigo do Malfoy! Acorda!
-Não vou ficar com aquele nojento só porque ele é amigo do Malfoy!
-Tem que ser mais ambiciosa! Malfoy é amigo pessoal do Lorde das Trevas!
-eu sei. Mas ele sumiu. Nem sabemos se esta com Valdemort ainda!
A outra deu uma risadinha o que foi percebido pela moça que não quis ficar com Goyle
-Que cara é esta? Você sabe de alguma coisa?
-Eu sei sim – falou orgulhosa e Hermione e Harry trocaram um olhar de entendimento
Hermione não ousava nem respirar a espera da resposta – Crabbe me disse que Malfoy não esta tão longe assim!
-O que? - A menina aproximou-se e sentou na cama perto da amiga – me conta isto!
-Não posso, jurei não contar nada! Mas só digo que pode haver uma surpresa este ano em Hogwarts!
-Ah, tem que me contar!
-Não posso! Quem sabe se resolver dar uma chance para o Goyle... talvez ele te conte!
-Não sei se tenho estômago! Não sei como agüenta o Crabbe, ele é seboso!
-Aguento pois quero ter um lugar de destaque quando o lorde das trevas ascender novamente! Você deveria pensar como eu!
-Você é terrível! – a outra falou e as duas riram.
Hermione fez uma cara de nojo. Que duas idiotas!
-Agora tenho que me trocar! Vou me encontrar com o Crabbe hoje a noite!
A menina começou a tirar a roupa e Hermione arregalou os olhos e olhou para Harry e fez um movimento com a boca de " e agora?" e ele deu de ombros
Aff! Meninos! Apostava que ele estava se divertindo com a situação! Com certeza queria dar uma espiadinha na aluna da Sonserina! Que descaramento!
Fechou a cara e empurrou ele que a encarou sem entender
-vamos! – ela falou muda.
Ele pareceu que ia protestar, mas ao ver que ela estava séria, fez o que mandou. Saíram de fininho pela porta do dormitório. Hermione rezava para que não houvesse ninguém na sala e para sorte deles estava fazia.
Ela ia se encaminhar para o alçapão, mas ele a puxou
-Vamos sair por aqui mesmo! A porta esta aberta!
Ela o seguiu para a fora da sala cumunal e assim que ficaram fora da vista, tiraram a capa.
-esta foi por pouco!- ele falou sorrindo
-Por que esta rindo? Acha bonito a gente quase ter se ferrado? Ou esta rindo o espetáculo da menina da Sonserina?
-hei, calma aí!
-Vocês homens são todos iguais! – ela fechou a cara e cruzou os braços – aposto que achou ela bonita.
-Não achei ela bonita!
-Pode falar, Harry! - Hermione não sabia dizer da onde vinha aquela inveja sem noção da menina da Sonserina.
-Por que estamos tendo esta conversa? - ele perguntou sorrindo
Ela só conseguiu ficar séria por mais alguns momentos, mas depois caiu na gargalhada e ele a acompanhou
-Você ouviu o que ela disse? Sobre Malfoy?- Harry perguntou de repente
-Sim, eu ouvi. Mas pode ser conversa fiada do Crabbe. Você sabe, ele pode ter dito isto pra se gabar e conseguiu conquistá-la!
-Pode ser. Mas juntando com o que a gente ouviu naquele dia na torre de astronomia... pode fazer algum sentido...
Eles caminharam pelo corredor e Hermione lembrou-se da pergaminho com a poção polissuco. Pegou o papel do bolso e observou distraída o papel, lendo a receita da poção em busca de algum erro, como fazia sempre. Então algo lhe chamou a atenção
-Harry... Tem alguma coisa aqui... – ela continuava lendo
-O que, achou algum erro? – ele falou entre irônico e divertido
-Não – ela parou e pegou a varinha lançando um feitiço simples. No começo nada aconteceu
-o que esta fazendo? acho que há algo escondido?- Harry cochichou e tentou tirar o papel de sua mão, mas ela o repeliu com um tapa
-espere! - ele ficaram olhando o papel, então os dizeres foram mudando e Hermione sentiu a um frêmito de vitória
-Não falei? Olhe isto!
Ela deu o papel a Harry e ele viu o que ela queria dizer
No lugar da receita da polissuco havia outros dizeres. Mas totalmente inteligível
-Mas... que língua é esta? Eu não entendo!
Ela pegou o papel de sua mão e tentou ler
-hum, deixa eu ver... não é nada que eu já tenha visto antes, na verdade parece... parece símbolos. É isto, são símbolos. Como um código... – ela fitou Harry – acho que quem escreveu isto não queria que outra pessoa lesse, a não ser o destinatário, mesmo que descobrisse algo sob a poção.
-Mas como vamos descobrir?
-Nós também precisamos descobrir quem escreveu e pra quem!
-quem escreveu? Não duvido que tenha sido Malfoy para um daqueles idiotas. E deve ser a instrução para alguma coisa ruim. Pode ter a ver com o que foi feito na floresta proibida.
-Precisamos descobrir como ler isto...
-Acho impossível – ele falou desanimado. Mas podia ver pela cara de Hermione que a mente dela já estava trabalhando uma maneira de achar a solução.
-Não é não. Vou a biblioteca, acho que vi alguns livros sobre simbologia...- ela nem esperou uma resposta e saiu animada em direção a biblioteca
Harry a seguiu. O que será que havia naquele pergaminho?
E se fosse realmente alguma coisa a ver com Malfoy?
-Procure por livros de símbolos, ou simbologia - ela o instruiu, minutos depois eles estavam debruçados sobre pilhas de livros sobre símbolos a procura de algum indicio que pudesse levar ao entendimento daquele pergaminho.
As horas foram passando e finalmente ao cair da tarde, Hermione fechou o último livro
-desisto. Não há nada nem remotamente parecido com estes símbolos nestes livros!
-pode ser alguma coisa inventada por quem escreveu
-Mas geralmente pelos os inventados tem alguma coisa a ver com outros símbolos.
-Com o canto do olho Harry viu Madame Irma Pince os encarando curiosamente. Harry não queria que ela se aproximasse e perguntasse o que estavam fazendo
-Vamos embora, não vamos achar nada aqui.- ele fez um movimento com a cabeça em direção a bibliotecária e Hermione entendeu
Eles devolveram os livros rapidamente e Hermione colocou o pergaminho no bolso, mas não conseguiram fugir a tempo, pois madame Pince aproximou-se deles
-Mas que meninos mais estudiosos! Porque passaram o dia aqui e não em Hogsmeade?
-Estamos em detenção - Harry respondeu
-Você eu posso crer, agora a senhorita Granger?- a mulher perguntou espantada
Para espanto de Harry Hermione deu uma risadinha afetada
-Não se espante, Madame Pince, eu não sou tão santinha! – ela piscou e se afastou e Harry a seguiu
-O que foi aquilo?
-Nos livrei das perguntas da Madame Pince – ela respondeu simplesmente – ela estava bastante curiosa para saber o que estávamos fazendo ali
-ela ficou curiosa em saber o que foi que você fez para ficar em detenção isto sim
Eles riram
E de repente Hermione deu-se conta do que estava acontecendo. Ela e Harry tinham passado o dia sem brigar, como nos velhos tempos. E sentiu-se feliz com isto
-Me desculpa por ter agido como uma idiota – ela desculpou-se de repente.
-Sou eu que tenho que pedir desculpas.
Eles param em frente ao quadro da mulher gorda
-Amigos? – ele sorriu e Hermione percebeu que ele ainda estava inseguro com sua reação e percebeu que não queria continuar brigando com ele. E sorriu também
-Sempre – respondeu e falou a senha pra mulher gorda. Sentindo-se imensamente bem. Entraram na sala cumunal sorrindo e de repente uma massa de cabelos ruivos passou como um vendaval por Hermione
-Aonde é que você se meteu? – Gina gritou com as mãos na cintura encarando Harry com fúria- fiquei te esperando o dia inteiro e nada! Tem idéia do que passei? Espero que tenha uma boa explicação para isto!
Hermione colocou a mão na testa. Que droga! Tinham esquecido completamente de ir ao encontro de Gina e Rony em Hogsmeade!

continua...

Um comentário:

Priscila disse...

Adoreiiiiiiiii a forma como eles perceberam que nao vivem sem o outro...
Esqueceram totalmente de Rony e Gina... hahahahaha
Mas agora quero ver é explicar todo o acontecido...
Essa historia com Malfoy esta me intrigando... quero logo saber como isso vai se desenrolar...
E tbem... saudades dos beijos de Hermione e Harry... adoro como vc descreve esses momentos...
Toh adorando ler essa fic Ju... de verdade...
Nao demora naooooooooooo!!!